Resiliência

Atualizado: 17 de Out de 2019


Como você reage frente às dificuldades do dia a dia? A capacidade de superar situações difíceis e principalmente o modo como agir diante delas fará de você uma pessoa muito especial.



"Ninguém baterá tão forte quanto a vida. Porém, não se trata de quão forte pode bater, se trata de quão forte pode aguentar apanhar e permanecer de pé." A famosa frase citada por Rocky Balboa, personagem interpretado por Sylvester Stallone, pode representar na prática o significado da palavra Resiliência. Vivemos num mundo repleto de grandes desafios e que nos solicita a todo instante uma dose extra de força e coragem. Sempre encaro os desafios como oportunidades únicas de crescimento, e como considero únicas, vou pra cima com toda minha força. Durante esta minha trajetória profissional passei por muitos e muitos desafios. Hoje vou contar sobre uma das provas de resiliência mais intensas e insanas que já vivi e espero sinceramente inspirá-lo.


O ano era 2012, eu trabalhava em um complexo automotivo em Camaçari e seguia firmemente em busca de uma cargo de liderança. Tinha muito medo de ser mais um cara que se formou em Engenharia e continuou atuando como técnico por longos anos da vida, esperando por uma oportunidade para entrar no mercado como graduado. Eis que surge uma oportunidade, era outubro de 2012 quando recebi uma ligação para concorrer a uma vaga para Supervisor de Manutenção numa prestadora de serviços de engenharia. Coloquei a faca entre os dentes, fui pra cima e acabei conquistando a vaga. Vale salientar que durante a entrevista fui informado que esta supervisão seria para um contrato específico de prestação de serviços para uma grande rede de supermercados, e a área de atuação seria em todo o estado da Bahia onde houvesse uma loja desta rede.


Vamos lá, pedi dispensa da empresa para qual trabalhava e me apresentei à nova empresa no dia marcado para dar inicio às atividades (me lembro de tudo como se fosse hoje). Antes de descermos para o campo de batalha, fizemos um preparatório durante uma semana na sede da empresa na região do Iguatemi. Como até aquele momento eu só havia trabalhado em indústria, fiquei meio apreensivo pensando como seria o primeiro dia de atividades. Para tentar te levar ao cenário, imagine o seguinte: A equipe era composta por cerca de 60 pessoas, divididas entre mecânicos, eletricistas, ajudantes, técnicos de refrigeração e 02 programadores de manutenção, que cuidavam dos chamados realizados pela central da rede, todos espalhados pelo estado, com a sua maioria concentrada em Salvador, devido ao maior número de lojas. Tínhamos alguns carros que ficavam com pessoas chave da equipe, porém a maioria dos deslocamentos se davam através de ônibus. No início das atividades eu tinha que controlar as manutenções corretivas e preventivas, o combustível e a quilometragem dos carros, o custo com os transportes públicos, a compra de materiais para as manutenções, elaborar relatórios técnicos mensais, elaborar propostas técnicas e prestar suporte para solução dos mais variados tipos de problema. Após alguns meses continuei fazendo quase tudo até o final do contrato, só saíra da minha responsabilidade a manutenção corretiva.


Enfim o grande dia chegou, e como já era esperado, recebemos uma "enxurrada" de solicitações logo pela manhã e assim continuou até o final do dia. Confesso que foi bem desesperador. Lembro-me do diretor, hoje um grande amigo meu, me ligando para saber como tudo estava caminhando e eu, do outro lado da linha, respondendo eufórico: Está bem tenso, estamos com uma quantidade enorme de solicitações mas estamos correndo atrás... E ele, do outro lado da linha com toda a sua experiência, me disse: Você está indo muito bem!!! Ouvir aquilo me fez muito bem e me deu um ânimo extra para continuar focado até o final do expediente, que se estendia para minhas aulas na faculdade e duravam praticamente até o descarregamento da bateria do celular.


A rotina de solicitações excessivas continuou durante todos os dias do contrato com duração de 01 ano. Me recordo bem que eu ficava com os dois celulares descarregados todos os dias. Começava o dia com o celular da empresa e pela tarde já removia o chip e colocava no meu particular. Detalhe: o meu celular pessoal só comportava 01 chip, logo, eu ficava sem comunicação com o meu próprio número em prol do comprometimento com a empresa e zelo pelo meu nome. Para completar, meu carro não possuía tecnologia bluetooth e acabava me arriscando e recebendo algumas multas por falar ao telefone. Algum tempo depois, após trocar de carro, as multas pararam de chegar. rsrs


No final de um ano de muita luta, cansaço e stress, fui recompensado com uma bela promoção para Coordenador de Manutenção e permaneci por 05 meses em um contrato muito mais tranquilo até aparecer outra oportunidade para atuar como Engenheiro de Projetos. Costumo dizer que quem passou por aquele contrato, e deixou a sua marca, está 100% habilitado para trabalhar em alta performance no tocante a trabalhos árduos em qualquer lugar deste planeta.


Para resumir, não se trata do quão bom você é trabalhando em situações confortáveis e controladas. Veremos o verdadeiro profissional quando o mesmo for exposto a situações totalmente fora do habitual. Se conseguir fazer a diferença, você deixará a sua marca, sairá como um grande vencedor e de quebra levará consigo uma experiência incrível para compartilhar e inspirar todos aqueles a sua volta.


Abraços e sucesso sempre!!


Sinta-se a vontade para curtir e deixar o seu comentário e/ou sugestão de tema para os próximos posts!

Curta e compartilhe! Siga-nos nas redes sociais!!


CLIQUE AQUI E CONHEÇA O NOSSO CANAL NO YOUTUBE


SIGA O MEU DIFERENCIAL NO INSTAGRAM


SIGA O MEU DIFERENCIAL NO LINKEDIN


Aproveite também para assinar o site e receber as nossas atualizações! Siga-nos nas redes sociais!



22 visualizações